Alfabetização Espiritual: Matéria 1

Andar na contramão desta geração. Um estado geral de inconformidade é uma exigência do discipulado. Como podemos ser diferentes, como podemos ser mais conscientes de nós mesmos e assim vivermos pacificados e pacificando aqueles que estão na nossa volta? Como podemos nos alfabetizar espiritualmente?

Jesus tinha muitos expedientes típicos da escola rabínica de sua época para despertar as pessoas e fazê-las pensar. Como um típico Rabi do primeiro século, ele sempre tinha uma pergunta que chacoalhava o senso comum e fazia vir a tona os pensamentos e as motivações do coração. Vejam algumas: O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar a vida ou destruí-la? Pois o que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma ? Se alguém possui cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixará as noventa e nove nos montes, indo procurar a que se perdeu?

Conta-se que um certo homem chegou a um Rabino e o confrontou: Por que os rabinos sempre respondem uma pergunta com outra pergunta? Ao que o Rabino não se intimidou e tascou: O que há de mal com uma pergunta?

Sim perguntas removem nossas máscaras como nada mais que eu conheço. Lembro das sessões de aconselhamento durante o tempo de seminário que faziam com que entrássemos em crise, pois nos faziam entrar em contato com uma realidade pessoal que não imaginávamos que existia dentro de nós. Mas “não era uma crise, era só o fim de uma ilusão.”

A mudança só chega quando estamos dispostos a encarar a realidade nua e crua. “A realidade morde se não for respeitada” já escreveu Brennan Manning. E como aqueles momentos de questionamentos mudaram para sempre e para melhor nossa vida.

Tenho na minha biblioteca dois livros que considero preciosos e recomendo a todos. São livros que podem ser encontrados na maioria dos sebos: O livro das perguntas de Gregory Stock e O livro das perguntas sobre amor e sexo do mesmo autor. As vezes como família sentamos e discutimos questões que nos deixam pensando por muito tempo. Algumas perguntas levantadas pelo livro:

Qual a maior realização de sua vida? Existe algo que espera fazer que seja ainda melhor?

Se você fosse morrer esta noite e não tivesse a menor chance de se comunicar com ninguém, o que mais lamentaria não ter dito a alguém? Por que não disse até agora?

Ao pensar nas pequenas e grandes coisas em que você e seu par são diferentes, qual é a diferença que mais admira na pessoa amada?

Mas eu também quero deixar algumas perguntas que serão um excelente começo para nossa alfabetização espiritual. Mas por favor não se apresse em responder. Pense lentamente.

Você é orgulhoso? Por favor seja corajoso e pergunte a sua esposa ou aos seus pais ou aos seu irmãos e ouça a resposta.

Você se coloca no lugar das pessoas antes de fazer um julgamento a respeito delas?

Você sabia que as pessoas com as quais tem mais dificuldades, são as mais parecidas com você?

Você já se perguntou por que determinadas situações lhe irritam tanto?

Como você reage quando está sob oposição?

Como você reage quando está sem dinheiro?

Como você reage quando é rejeitado?

Como você reage quando seu trabalho não é reconhecido?

Como você reage quando seu trabalho não é reconhecido?

E por fim, não fuja daqueles que certamente usados pela Providência, cruzam seu caminho e lhe fazem perguntas que incomodam.

Você precisa saber!

O discípulo gaudério.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s