Os Filhos da Insegurança

Perder tempo com um inimigo ilusório, e esquecer-se do inimigo real. Isso foi o que aconteceu com Saul dominado pela insegurança. Enquanto os filisteus invadiam os territórios de Israel trazendo opressão e destruição, o rei Saul desperdiçava suas energias  perseguindo um inimigo que não existia: Davi.

De forma semelhante líderes e pessoas em todas as instâncias da vida dão a luz a comportamentos de auto sabotagem quando dominados pela insegurança. Muitos sequer conseguem discernir que estão apavorados, e por isso mesmo são um perigo gigantesco.

Por isso apresento hoje os filhos da insegurança para que  possamos em primeiro lugar admiti-la em nós e depois impedir que ela nos derrube em meio aos desafios que enfrentamos.

1. Quando sou inseguro tenho a tendência de querer agradar a todo mundo.  Uma sucessão de decisões que visam agradar a todos colocará pessoas em qualquer organização em guerra aberta. Muitos lugares devastados por conflitos crônicos são liderados por pessoas que não tem coragem de confrontar e de tomar decisões impopulares mas necessárias.

2. Quando sou inseguro tenho a necessidade de fazer sempre a minha vontade. Em alguns lugares pessoas assim são chamadas de  fortes, mas não são. A segurança de ser quem eu sou (um ungido de Deus) me guarda desse complexo de Deus. E mesmo Deus, se “encolheu” para que nós pudéssemos ser pessoas com livre arbítrio.

3. Quando sou inseguro, não aceito que alguém além de mim receba reconhecimento. Quando esse ano cheguei de minhas férias, um membro da igreja me chamou em sua casa e me disse:” A igreja estava melhor do que nunca! Nunca ouvi palavras tão abençoadas.” E eu respondi: Foi exatamente para isso que esses líderes foram treinados. Você costuma abrir portas para que outras pessoas cresçam?

4. Quando sou inseguro tento impressionar as pessoas. Dependendo do estilo de sua igreja você pode impressionar de diferentes formas. Em certas igrejas  diplomas e citações de autores famosos em pregações farão você ganhar prestígio, em outros lugares propagandas de milagres realizados por você ou relato de visões sobrenaturais granjearão respeito,  em outros lugares os números de resultado de sua liderança colocarão a todos de boca aberta. Independente do que seja, correr atrás de qualquer uma dessas coisas fará com que você se desvie do seu propósito primário: servir as pessoas e não impressioná-las.

5. Quando sou inseguro evito correr riscos. Sei como isso é sutil. Por isso cada ano que começa eu peço ao Senhor que eu possa envolver-me em projetos que venham a trazer aquele frio na barriga. Todos precisamos daquele frio na barriga para sairmos de nossa comodidade e crescermos.

6. Quando sou inseguro vivo comparando meu trabalho com o de outros. As comparações são sempre nocivas. Produzem orgulho quando me sinto superior ou depressão quando me sinto inferior. Só Deus sabe a história por detrás das conquistas de cada um. No meu caso vou continuar me preocupando em fazer o melhor com o que tenho nas mãos.

7. Quando sou inseguro tenho dificuldade em elogiar e reconhecer o trabalho dos outros. Ah quanto trabalho bem feito ao nosso redor é esquecido. O clima do lugar onde você vive e trabalha depende de sua capacidade de elogiar.

8. Quando sou inseguro não confio em ninguém para me ajudar no trabalho. Existe um grande número de pessoas sofrendo e carregando fardos porque não conseguem compartilhar seu trabalho com outras pessoas.

9. Quando sou inseguro jamais admito meus erros. Meu professor de aconselhamento, Werner costumava contar a história de uma senhora que foi abandonada pelo marido e foi procurar aconselhamento. Em uma das sessões, ele pega um quadro faz um gráfico e pergunta: De O a 100 qual a porcentagem de responsabilidade da senhora neste abandono. A mulher olha para ele e responde enfaticamente: Nenhuma. Ele com sinceridade germânica lhe responde: Tá vendo, quem é que consegue conviver com uma mulher perfeita!

Discernindo os filhos da insegurança podemos começar hoje mesmo um caminho de confiança na soberania de Deus que me ungiu como seu amado, e que prometeu que apesar de minhas fraquezas fará a obra comigo e apesar de mim.

O discípulo gaudério.

Um pensamento sobre “Os Filhos da Insegurança

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s