Sexo: resgatando a alegria do corpo no Corpo

Nós da  tribo evangélica (não vou negar minhas raízes históricas) temos muitos problemas que demandam atenção. Somos igreja de gente em processo de crescimento até que chegue aquele que é perfeito. E um dos maiores  é a relação com nossa humanidade.

Crente em geral tem três problemas ligados a sua humanidade: problema no admitir e expressar emoções, crises teológicas quando enfrenta doenças, perdas e dores e um profundo desconforto com sua sexualidade.

Quero falar primeiramente da sexualidade e do que tenho visto em minha experiência de mais de 20 anos aconselhando e falando em diferentes denominações. Vamos  lavar um pouco da roupa suja?

Os crentes tendem a enxergar seus pastores e líderes como figuras assexuadas. Não sei se nós colaboramos para isso ao não abordarmos temas sexuais de forma explícita. Pastor que lê isso, qual foi a última vez que você abordou assuntos relacionados com sexualidade em sua igreja de forma tranquila, aberta e distensionada? Uma querida irmãzinha amada mas desinformada expressou-se da seguinte forma para minha esposa e eu quando soube durante uma conversa de que nós fazíamos sexo: “Pastor eu nunca imaginei que vocês também faziam essas coisas”. É pois é.

Os crentes por sua falsa moralidade (o que eles admitem publicamente e o que eles fazem de fato) dificilmente publicarão ou ensinarão algo realmente útil no quesito como dar e receber prazer na relação sexual. Filosoficamente os livros cristãos são em geral bem sólidos, só que no aspecto prático (quais os botões apertar), são infinitamente inferiores aos chamados “seculares”. Minha esposa palestrou em um Congresso de mulheres inteiramente sobre sexualidade e as reações foram surpreendentes. Muitas mulheres consideram os órgãos sexuais como Pero Vaz de Caminha os descreveu em sua carta para Portugal a 500 anos atrás: “suas vergonhas”. Creem que a mesma boca que beija e que faz sexo, não pode louvar e adorar a Deus, mas antes e depois deve se purificar. Me faz lembrar o costume que católicos praticantes tinham de fechar o nicho da santa que ficava no quarto na hora de terem relações sexuais. Outras mulheres cada vez que faziam sexo, após terminarem iam até um quarto ao lado pedirem perdão a Deus. Sinceramente me compadeço destes casamentos e sempre tenho vontade de ajudar essas pessoas. Quanta infelicidade sem razão!

Os crentes quando falam em sexo na igreja em geral é para apresentar listas obsessivas  sobre o que não pode se fazer. Líderes mal resolvidos querem ser policiais da sexualidade alheia. Se você ver gente assim por aí, cuidado essas pessoas tem um tarado por dentro! Lembro de uma líder que mandava as meninas colocarem  farinha de trigo nos genitais com o fim de vencerem a  tentação do sexo. !!!!!!!Meu Deus quanta obsessão doida!

Os crentes associam sensualidade (prazer dos sentidos) com “espírito de prostituição”. Prostituição é vender o corpo. Um membro de uma igreja chegou no escritório de um pastor amigo pedindo oração a ele porque sua esposa estava com o tal “espírito de prostituição”. O pastor perguntou o que ela estava fazendo e ele respondeu que ela tinha comprado lingeries novas e sensuais para estar com ele. Em outros lugares seminários de libertação levam as lingeries portadoras de espíritos de prostituição para queimarem e descartá-las. Oh Deus misericórdia. Não esqueço quanto alívio tenho visto nas pessoas depois de seminarios nos quais desmascaramos essas mentiras escandalosas que fazem nosso povo mais infeliz.

Os crentes para minha vergonha e perturbação, depois de se converterem não raro começam a ter uma vida sexual menos prazerosa. Ouvi de muitos maridos que suas esposas se tornaram extremamente  complicadas e cheias de “não me toques” depois de se converterem. Alguns homens depois de participarem algum tempo na igreja chegaram em casa e disseram a suas mulheres: Agora que a gente se converteu vamos ter que parar de “fazer essas coisas”.

Os crentes por muitos anos aboliram e condenaram a  dança na vida do casal reputando-a por mundanismo. A dança a dois faz com que nos sintamos a vontade com o nosso corpo, algo fundamental para uma vida sexual sadia. Está na hora de voltarmos para a pista de dança com nossos companheiros. Ah meu Deus, será que serei apedrejado por ter escrito isso?!

Deus nos deu o sexo para a alegria. Como diz meu cunhado “dar uma alegria para o corpo” é fundamental para essa vida que já tem seus fardos e lutas cotidianas. Não temos necessidade de acrescentar mais peso ainda. E se alguém quer contestar por favor leia Cantares com um bom comentário na mão e verá que o que digo é verdade. O sexo precisa ser resgatado em nossos arraiais. Deus nos ajude.

O discipulo gaudério.

2 pensamentos sobre “Sexo: resgatando a alegria do corpo no Corpo

  1. Totalmente de acuerdo. Cuántos matrimonios de cristianos (de pastores también) se salvarían si los líderes enseñaran correctamente lo referente a sexualidad.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s