A Enquete de Mardoqueu parte final

1. Use sua influência para defender quem não pode se defender. Quantas vezes você se indignou quando falaram mal de você pelas costas e você não teve condições de se defender de uma grande injustiça. Seu sangue ferveu! Mas o pior que isso são as vezes que você ouve injustiças de outra pessoa e não diz nada, só pra não se incomodar. Pôncio Pilatos sabia que Jesus era justo, tinha o poder de livrá-lo, mas temeu por sua carreira política e lavou suas mãos. Deus não nos chamou para lavarmos nossas mãos, mas tomarmos posição.Mas não só quando o que está em jogo são nossos interesses. Vejo na Bíblia uma figura que me chama a atenção: o desconhecido servo etíope Ebede-Meleque. Ele arrisca seu conforto para ajudar o profeta a manter-se vivo. Dietrich Bonhoeffer foi uma voz solitária na Alemanha seduzida pelo nazismo. Com uma coragem pessoal impressionante abandonou sua posição privilegiada de professor  nos EUA e voltou para ajudar a seus compatriotas a saírem do seu estado de letargia espiritual e aos judeus vilipendiados por um sistema perverso. Mas você tem pequenas situações cuja ajuda e posição poderiam fazer toda diferença. Faça, agora.

2. Use sua influência para promover quem tem capacidade.

O mundo é uma grande fofoca. Reputações são facilmente destruídas. Quase ninguém procura checar as informações. Mas você pode se transformar em um bom fofoqueiro. Pode começar a promover quem você vê que faz um bom trabalho. Não fique só para você. Divulgue. Abra portas. Procure pessoas que podem ajudar quem faz as coisas bem feitas. Estou constantemente ministrando em diferentes lugares. Lugares que muitas vezes não me conheciam de antemão, só porque alguém foi lá e falou do meu trabalho. Agradeço a eles e estou comprometido a fazer o mesmo. Comprometa-se você também. Não deixe um grande trabalho passar despercebido. Bote a boca o trombone.

3. Use sua influência para desarmar bombas atômicas.

Sabe quando o marido chega em casa querendo fazer guisadinho de uma outra pessoa? Ou a esposa reclamando enfurecida de uma situação? Quantas vezes somos gasolina nas chamas da ira? Incendiários desavisados, fomentando destruição. Ouça, deixe que as pessoas desabafem, mas traga uma palavra de sobriedade. Sempre me arrependi daquilo que fiz de cabeça quente, e agradeço a Deus por minha esposa, desarmar meu coração em momentos de descontrole.

Ano passado quando estava na fila de entrada de um jogo de futebol aqui em Pelotas, percebi como começam as tragédias entre as torcidas. Os torcedores adversários passavam na frente da nossa fila e eram atacados com palavras, alguns se irritavam e começavam a atiçarem-se mutuamente, falando do outro que nem conheciam como se algo de maligno houvesse nele, só porque ele vestia uma camiseta diferente da nossa. Onde eu estava comecei a falar forte, dizendo que aquilo era uma bobagem, que estávamos ali para nos divertir e tal e coisa. Felizmente nada demais aconteceu. Mas acontecem, porque quem tem a cabeça no lugar acaba se omitindo covardemente.

4. Use sua influência para propor novos caminhos.

O grande problema em todos os ambientes é que as pessoas se preocupam mais com quem vai levar a glória das novas ideias do que com quem vai se beneficiar delas. Preocupa-me também os evangélicos que tem bom discernimento, mas não se envolvem. Acham que o único lugar em que devem atuar é na igreja. Muitas de nossas associações de bairro carecem de gente boa de Deus que proponha caminhos novos para a comunidade. Envolva-se com seu bairro, e com os problemas que ele enfrenta. A pior coisa do mundo é um crítico sem propostas.

5.  Use sua influência para desmascarar mentiras vestidas de verdade.

Precisamos com inteligência tomarmos posição por aquilo que entendemos ser a verdade. Recordo que quando estava no curso de inglês, debatíamos muitos assuntos polêmicos na sala de aula. Em uma dessas ocasiões defendi o direito do feto a vida. Fui criticado e fiquei sozinho na defesa de minhas ideias, mas cumpri com meu dever de consciência.

Já na época de eleições recebi muitos e-mails de todo o tipo, defendendo um ou outro candidato. Toda vez que percebi que as palavras não correspondiam aos fatos, como denúncias que eram obviamente boatos mal intencionados, respondi com contundência. Não é mais tempo de ouvirmos asneiras e ficarmos calados. Aliás, nunca foi o tempo.

Na esperança de que você seja despertado de um sono confortável deixo uma frase que sempre me perturba:

“Os melhores sentem falta de toda convicção; enquanto os piores estão cheios de intensidade apaixonada.” W. B. Yeats.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s