A Morte de Uma Ilusão

A morte de uma ilusão pode nos parecer o fim do mundo. E será para aqueles que  a morte e a ressurreição de Cristo não tem qualquer significado existencial. Para aqueles que a situam como fato religioso a ser lembrado. Mas em Cristo abre-se uma porta de vida e compreensão e os fatos da nossa vida ganham novo significado.

A maioria de nossas ilusões são na verdade autoproteções criadas pelas nossas inseguranças. Lutamos com toda força de nosso ser para mantê-las, nos enganando e permitindo que mentiras óbvias se estabeleçam como verdade inabalável. Até que um dia a vida grita na alma: o rei está nu!

“Trazemos sempre em nosso corpo o morrer de Jesus, para que a vida de Jesus também seja revelada no nosso corpo. Pois nós que estamos vivos, somos sempre entregues à morte por amor a Jesus, para que a sua vida também se manifeste em nosso corpo mortal.”

Todos aqueles que passaram por uma grande transformação em suas vidas na Bíblia, não o fizeram sem antes passarem pela morte de uma ilusão:

Para Paulo foi a ilusão da justiça daquilo que ele havia transformado em uma causa de vida. Ele era um homem intenso cuja vida tinha significado na luta para manter o judaísmo puro. Então a realidade de Jesus se impôs com força inquestionável. Paulo mais tarde faz uma declaração ousadíssima e perigosa para ele: o passado é esterco comparado com a realidade de Cristo. Eu mesmo abracei a causa do esquerdismo como esperança de mudança para o país. Aprendi com muita dor que política partidária jamais mudará qualquer coisa, a não ser que ela já esteja no povo como consciência e exigência organizada.

Para Pedro foi a ilusão de sua própria força. Levado sempre pela energia essencial do seu ser Pedro se destacava onde fosse. Não tinha medo do trabalho. Falava o que pensava. Sobrevivia porque se impunha as forças do caos. Confiava que aquilo que havia decidido fazer faria. Uma ilusão que o levava a fazer declarações pomposas: Todos, menos eu! Todos estes podem te negar, mas eu jamais farei tal coisa. Então veio a verdade: ele era fraco. E com sua fraqueza o choro que mais tarde Jesus mesmo secou reafirmando que ainda tinha planos para ele: Apascenta minhas ovelhas.

Para Jó foi a ilusão de uma vida sem solavancos. O crente comum crê (da mesma forma como também acreditei) que é abençoado quando é livre de todo problema, quando tem força, quando há pessoas ao seu redor, quando há abundância e quando há respeito entre seus pares. Jó acreditava nisso tudo como absoluta demonstração de que Deus estava com ele.

O drama de Jó foi o drama da existência humana religiosa. Dos falsos amores, que não são direcionados a pessoa mas ao que ela representa. Da falsa compreensão de que em uma existência com Deus certas coisas não podem acontecer. Do engano de que Deus media seu amor através das coisas que nos dá e não direta e pessoalmente.

Para Oséias foi a ilusão de que o amor sempre seria pago com amor. Não deve existir nada mais arrasador que descobrir que o amor de nossa vida não é aquilo que gostaríamos que fosse. Que esteve nos braços de outra pessoa. Que foi capaz de jogar no lixo o mais precioso que entregamos a ela: nosso coração.

Para Jonas foi a ilusão de pensar que o amor de Deus era tribal. Foi um susto quando ele descobriu que Deus não anda de acordo com os interesses políticos de conforto e auto exaltação do seu povo. Ele descobriu que o amor de Deus era muito maior, e o Seu plano insuperavelmente abrangente até para as cabeças mais abertas.

Para Sansão foi  a ilusão de achar que teria o favor de Deus não importando o que acontecesse. Quem pensa que a graça significa que faremos qualquer coisa sem sentirmos a consequência do mal ainda não entendeu nada. Graça não é graxa diria Caio Fábio. E bem aprendeu Sansão quando brincou de ciranda cirandinha com o mal.

Esses são os momentos em que a vida pode ganhar pelo poder de Jesus um novo significado. Muito maior, mais amplo. Onde podemos descobrir uma vida muito maior que só poderia se manifestar através de uma morte.

Você está chorando? Decepcionado com alguém ou consigo mesmo? Não se desespere, não há nenhuma crise para Deus. Ele já conhece tudo que você experimenta como surpresa e perplexidade. Ele está determinado a transformar tua ilusão perdida e construir algo novo baseado na verdade. A verdade liberta das ilusões da nossa existência e estabelece um novo e firme fundamento.

Um abraço quebra costelas

O discípulo gaudério.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s