Vale de Baca: a segunda estação da jornada do crescimento

A vida é uma jornada selvagem, dura e injusta. Nenhum de nós quando  jovem se prepara para as dificuldades. Sonhamos com um caminho mais glorioso. Mas com o tempo precisamos enfrentar as perdas. Perdemos sonhos. Muito daquilo que queríamos já não faz nossos olhos brilharem ou fogem totalmente de nossas possibilidades. Enfrentamos decepções. Pessoas que nos pareciam incríveis, nos revelam sua face mais horrenda. Lembro da estima que eu tinha por um ancião, que considerava um gigante espiritual, mas que acabei descobrindo que era uma grande farsa.

Ninguém deveria confundir Deus com a vida. Essa confusão faz com que muitos se ressintam com Deus. Esperavam que certas coisas jamais lhes acontecessem, e entendem que o que lhes aconteceu de ruim foi determinação de Deus.  Não foi.  E de nada vai nos adiantar pedir a Deus, uma jornada mais fácil. Não ore por facilidades, ore por fortaleza.

Se permitirmos que as perdas, decepções e durezas da vida nos ensinem as lições erradas estaremos condenados a repetir os erros de outras pessoas e gerações com roupas novas.

Uma voz sinistra fala…

Ao coração da mulher decepcionada com um homem:

Não entregue seu coração a ninguém, todos vão quebra-lo.

Ao amigo fiel que confiou sua própria alma a outro amigo:

Não confie em ninguém, todos irão traí-lo.

A quem ousou sonhar com realidades diferentes na igreja, empresa, sociedade:

Desista de mudar qualquer coisa, seu burro!

Uma mulher nunca mais foi à igreja porque no dia em que foi na igreja sua casa foi roubada.

Você vive a situação descrita na composição dos Engenheiros do Hawaii:

Um dia me disseram

Que as nuvens não eram de algodão

Um dia me disseram

Que os ventos às vezes erram a direção

E tudo ficou tão claro

Um intervalo na escuridão

Uma estrela de brilho raro

Um disparo para um coração

Um dia me disseram

Quem eram os donos da situação

Sem querer eles me deram

As chaves que abrem essa prisão

E tudo ficou tão claro

O que era raro ficou comum

Como um dia depois do outro

Como um dia, um dia comum

Nesse momento, você deve aprender a lição número 2 para parar de andar em círculos:

Aprenda o verdadeiro ensino por detrás de suas experiências.

Experiência não é o que acontece com a gente, mas o que fazemos com o que acontece com a gente já dizia Aldous Huxley.  Como são felizes os que em ti encontram sua força, os que são peregrinos de coração! Ao passarem pelo vale de Baca, fazem dele um lugar de fontes escreve o salmista (1)

Pergunte sempre a si mesmo e aos amigos sábios a sua volta: o que funcionou e o que não funcionou?

Aprenda com a experiência dos outros. Ouvir o drama de outros pastores mais velhos do que eu me ajudou a evitar erros muito comuns.

Aprenda com as incompreensões. Talvez você tenha que se comunicar melhor, do jeito certo, no momento certo. Talvez, só tenha que dar tempo ao tempo.

Aprenda com os maus exemplos. Sim você pode aprender tudo o que não deve fazer na sua vida. Pessoas parecidas comigo e que me irritam, me mostram como eu não quero ser. São uma advertência.

Aprenda com as diferentes estações da vida. Como na natureza há tempo na vida de semear, esperar e colher  em uma frequência  indefectível. Qual o tempo você está vivendo agora? Não gosta do que está colhendo, veja o que está semeando. Acha que está esperando demais, não esqueça que o fruto sempre vem.

Aprenda dos momentos de sucesso. Nem tudo está tão bom quanto parece!

Aprenda dos momentos de fracasso. Nem tudo é tão ruim quanto todos estão dizendo!

Aprenda dos momentos de doença. Existem pessoas que você pode contar, preste atenção nelas.

Aprenda dos momentos de perda. Que se algo se perdeu, não significa que tudo se perdeu. Talvez você não veja agora, mas algo se ganhou.

Aprenda dos momentos de mudança. Que o passado já passou, e que seu tempo é agora.

Aprenda com seus livros. Escreva o que você aprendeu, para  guardar com você e talvez ensinar a outros. Mas só ensine quando lhe perguntarem alguma coisa.

Nunca faltarão lições, nem sabedoria para aquele que mantém uma alma de aprendiz! É isso que significa ser discípulo.  Nosso tempo de vida pode acrescentar sabedoria, ou presunção.  Escolha a sabedoria e seja um armazém aberto para que outros possam abastecer sua própria vida. O mundo está precisando disso! Ah, uma perguntinha, o que você está aprendendo com o que está acontecendo agora na sua vida? Pare e pense.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

(1)    Salmos 84:5,6

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s