Como permanecer jovem?

Médicos, advogados, policiais e pastores são vocações que vivem no extremo da vida. Vivem a miséria humana como seu pão de cada dia. Ao longo do tempo, ou em poucos anos desenvolvem uma proteção ao redor do seu coração para que o caos da existência não o engula. Você conversa com eles e ouve eles discorrerem sobre coisas horríveis impassivelmente.

Há uns anos atrás me convidaram para dar uma palestra para ex alunos no seminário que estudei. Foi muito legal o reencontro e o tempo que passamos juntos recordando aqueles anos intensos de estudos. Valeu a pena. A maioria, incluindo a mim, estava mais fofa, e também mais séria. Muitos de nós tínhamos uma porção de histórias de perda, decepção e sofrimento para contar depois de 15, 20 anos. Aquele brilho nos olhos com o qual nos conhecemos havia desaparecido em grande parte daquelas pessoas. Descobrimos que muitos que desejavam liderar comunidades de cristãos já haviam desistido da ideia ou haviam abandonado o ministério.

Doses maciças de realidade podem fazer o coração da gente perder o compasso. Acelerar ou simplesmente parar. O escritor de Provérbios, fala: Acima de tudo, guarda (proteja) o teu coração pois dele procedem as fontes da vida.(1) Se perdermos nosso coração, ao longo dessa dura jornada que é a vida, perdemos tudo. E ficamos velhos sem rugas, e sem cabelo branco.

Um personagem bíblico chama a minha atenção pela capacidade que teve de manter-se vivo e jovem apesar dos anos: Calebe. Quando Deus mandou que a terra de Israel fosse espiada para que o povo de Deus pudesse invadi-la e tomar posse dela, Calebe foi um dos únicos espias juntamente com Josué que voltou com um relatório positivo e cheio de entusiasmo quanto às possibilidades adiante dele. No entanto a maioria cedeu a um espírito derrotista e acabou vagando pelo deserto quarenta anos até que uma nova geração com uma outra cabeça pudesse ser formada para possuir a terra. Calebe não se sofreu e esperou 40 anos pelo grande dia no qual ele poderia entrar na terra com a qual um dia sonhou. Veja o que ele diz já entrado em anos:

– O Senhor manteve-me vivo como prometeu… Aqui estou hoje com oitenta e cinco anos de idade! Ainda estou forte como no dia em que Moisés me enviou… Dê-me, pois, a região montanhosa que naquela ocasião o Senhor me prometeu.(2)

O segredo de Calebe talvez esteja em quatro atitudes diante da vida que eu compartilho agora com você:

Seja corajoso.  Coração está na raiz da palavra coragem.

Seja corajoso para dizer a verdade sem ressentimento a quem precisa ouvi-la. Não foram poucas as vezes que falar a verdade para mim significou problemas financeiros. Aqueles que mais me ajudavam financeiramente frequentemente eram os que mais precisavam ouvir certas verdades. Perdi dinheiro, mas não minha consciência. Mas e daí? Como diria o Artigas o herói uruguaio: “Não venderei meu rico patrimônio pelo baixo preço da necessidade.”

Seja corajoso para ficar sozinho contra a multidão e em favor da verdade. A pressão para nos adequarmos ao que todo mundo pensa e faz pode ser devastadora, mas se você quer manter-se jovem defenda o que você sabe ser a verdade.

Seja corajoso para dar poder a outras pessoas. Não há melhor risco a correr do que preparar pessoas para fazerem o que nós fazemos. Isso estava no centro da obra que Jesus fez, preparar discípulos para fazerem o que Ele fez e ainda mais.

Seja corajoso para perder o que for pelo apego a verdade. Ouvi alguém dizer: “Os jovens são corajosos porque não tem nada a perder”. Talvez ele esteja certo, ou não. O certo é que se não estiver disposto a perder tudo pela verdade meu coração estará morto junto com meu desejo desesperado de segurança, influência e significado.

Seja corajoso para pedir compromisso total das pessoas. Se você acredita que aquilo que você faz tem importância de vida e de morte, não tenha pudor de pedir as pessoas para entrarem no barco de corpo e alma. O problema de quem faz o que é correto é a timidez. Parece que pedem desculpas para falar o que é certo, enquanto a picaretagem geral continua dando seus golpes sem corar de vergonha.

Quando você fizer isso, talvez as pessoas te chamem de louco, trouxa ou inconveniente, mas seu coração estará bem protegido.

Seja compassivo. Envolva-se em projetos nos quais você não ganha nada. Nada mesmo. Nem dinheiro nem reconhecimento. E numa base regular e constante, sirva pessoas com os seus dons, posição e posses. Corações enferrujados pela complacência e o egocentrismo são chacoalhados pelo ato de servir outras pessoas. Uma alegria nova é descoberta. Devo ter falado em outro post aqui no blog de uma conhecida que lutava contra depressão havia muitos anos. Aquela situação parecia insolúvel. Ela vinha à igreja, mas chegava a dormir nas reuniões. Um belo dia ela decidiu ajudar pessoas idosas. Sua vida não foi a mesma. Um avivamento pessoal tomou conta dessa vida, que dá gosto de ver.

Seja idealista. Não porque você acredita que todas as utopias vão se realizar, mas porque elas forçam você a caminhar com mais urgência. Não se conforme com uma igreja fria e irrelevante, anseie e busque por todos os meios o avivamento pessoal e comunitário. Não se conforme com um trabalho que não serve a ninguém. Não se acomode a um casamento morno e sem gosto. Renove seus votos.

Sabemos que estamos velhos quando passamos mais tempo reclamando de como as coisas são difíceis do que mostrando como as elas podem ser melhores.

Martin Luther King não acabou com o racismo nos EUA, mas sem dúvida alguma colocou os negros em outro patamar de cidadania e sacudiu a consciência da sociedade acomodada a injustiça social. E foi ele quem disse: “Tudo que é feito no mundo, é feito pela esperança.”

Seja alegre. Se há uma coisa que eu não quero na minha vida é a tristeza como estilo de vida. A alegria vem da fé entranhada na soberania de Deus apesar do terremoto e do tsunami devastador. Do entendimento e da vivência de que todas as coisas contribuem para o bem, no final das contas. Como disse Paulo: entristecidos, mas sempre alegres. (3) Também tem a ver com andar com gente, com não se isolar depois de decepções nos relacionamentos, vem de não exigir perfeição das pessoas. Os perfeccionistas nunca estão alegres. Eu sempre tive uma tendência ao perfeccionismo. Me recordo que quando fazia qualquer trabalho, nunca conseguia sentir prazer pelo que havia feito. De certa forma até me orgulhava de meu perfeccionismo. Hoje faço o melhor que posso dentro do tempo que disponho e aprendi a dizer como Deus fez com sua criação: isso está bom! Mas o pior dessa atitude é que minha insatisfação comigo mesmo me fazia um ranzinza insuportável com as pessoas. Elas tinham medo de realizar qualquer tarefa perto de mim. Bom, eu pensei: “não é esse o impacto que eu quero ter na vida das pessoas”. Não queria que no final de minha vida as pessoas comentassem: “Ele era assustador”. Então comecei a me alegrar com os mínimos avanços de quem estava a minha volta. Parei de impor o meu “eu” aterrador aos outros e fez toda diferença. Hoje mais que um crítico sou um torcedor pelo sucesso dos outros.

Ora se você quiser continuar sendo jovem, não tente uma cirurgia plástica. Faça uma cirurgia na sua vida começando com essas quatro coisas. Creio que será um ótimo começo.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

(1)    Provérbios 4:23

(2)    Josué 14:10,11

(3)    II Coríntios 6:10

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s