10 tentações de quem vê outros caindo em tentação

Quando o amor fraqueja, a tentação viceja!

Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia. (1)

Obedeçam aos meus decretos e ordenanças, pois o homem que os praticar viverá por eles. (2)

Para nossa tristeza todos  já tivemos de ler manchetes do tipo abaixo em nossas comunidades. Quem disser que não, está inventando o que não existe: igreja a prova de pecado.

Líder evangélico é flagrado recebendo sexo oral da secretária no seu escritório.

Pastor deixa esposa e filhos e vai viver em outro estado.

Pastor é descoberto desviando dinheiro da igreja para seus negócios particulares.

Líder evangélico é descoberto pagando garotos de programa para manter relações  homossexuais.

Pastor é levado à justiça por ex-membros sob acusação de abuso de poder e intimidação.

Cada uma dessas notícias foi pinçada da minha realidade e da realidade de amigos ao longo dos anos. Sei que estou tocando um tema delicado, mas acho importante que tantos que passam por esse blog e que na sua maioria são membros de igrejas, reflitam sobre nossa postura como comunidade diante de problemas que acabam vindo ao público. Quem fica de fora também é tentado em um momento de crise. Aqui vão algumas das tentações:

1. Pensar que todos são iguais. Nem carros que foram planejados e fabricados em série, reagem iguais expostos a mesmas situações, quanto mais nós homens forjados de forma tão especial. O cínico dirá: não há pessoa honesta, só há pessoa mal investigada. Mentalidade desse tipo serve apenas para afrouxar nossa luta contra o pecado e com certeza essa ideia vem das trevas.

2. Ir embora quando você é mais necessário. Não! Falha humana e pecado são superabundantes em todas as igrejas que se conhece. Nessa hora se espera uma postura de quem é confrontado: quebrantamento e outra postura de quem está em pé: amor! Na hora da crise é que precisamos demonstrar que somos pessoas que tem coragem para superar dificuldades e triunfar. Não somos ratos, somos tripulantes desse navio.

3. Tudo se acabou! Na verdade é um novo começo, uma nova oportunidade. Nenhum fundamento eterno como é o evangelho se moverá do lugar pelo que acontece entre os homens. Jesus continua reinando, o evangelho continua transformando e na presença de Deus há plenitude de alegria. “Todos os que olham para ti, estão alegres” nos diz o profeta.

4. Pensar que o pecado que se vê é o pecado que mata. Na verdade, todo grande erro público é conseqüência de várias condescendências pequenas que se arrastam ao longo dos anos originando o tropeço público que tanta tristeza traz a todos. Cuide das pequenas coisas em sua vida.

5. Esquecer que embora o servo de Deus esteja sendo tratado ele é ainda amado por Deus, e será tratado por Deus como todos os seus filhos o são.

6. Pensar que no seu arraial não acontecem essas coisas. Essa é a cegueira típica do fariseu: alegrar-se na piedade falsa. Crer que determinado tipo de coisa não acontece com minha igreja e comunidade. Que somos especiais e não estaremos sujeitos a erros grosseiros.

7. Se o meu líder fez eu também vou fazer. Essa é a voz das trevas querendo se infiltrar nos fazendo esquecer que obediência é vida em abundância. Por detrás dessa afirmação há uma sutil saudade do pecado, um desejo escondido buscando um álibi para se realizar. Pela Escritura sou ensinado que a palavra de Deus e minha conformidade com ela não são ordens arbitrárias de Deus com o fim único de impor sua vontade, mas são vida quando obedecemos com consciência. Quem achar que quem adulterou está vivendo o melhor tempo de sua vida, vá e pergunte e ouça a realidade como ela é. Quem achar que divórcio é moleza, não tem ideia da tempestade. Quem pensar que reconstruir a integridade espatifada é café pequeno está caído e não sabe.

8. Ver o pecado como ofensa pessoal. Os líderes são “totem e tabu” como afirma Caio Fábio citando a Freud. Quando aparentam estar bem são idolatrados em um panteão escondido da nossa psique. Por essa mesma razão quando não suprem nossas expectativas, quando não são por nós, quando não nos representam, quando não fazem aquilo que gostaríamos nós mesmos de fazer nós os reduzimos a pó e os tornamos tabus em nossas comunidades. Ouvi de um pastor após saber do adultério de um líder evangélico reconhecido: o que vou fazer com esses livros? O que será de tudo que ele falou? E acabou banindo os livros da sua biblioteca, como se o que foi dito estivesse desqualificado agora.

9. Esquecer que embora um seja culpado, todos são responsáveis de alguma maneira. Isso é o mais difícil para uma comunidade entender. O sentimento de traição da causa exacerbado acaba aleijando a capacidade de reflexão. Ano passado Davi Silva do Geração de Davi veio a público confessar que mentia a respeito de suas experiências de visões sobrenaturais em quase todas as suas pregações. Houve um sentimento muito forte de tristeza e decepção. Acho que de tudo que já vi sendo confessado esse é realmente um pecado que deveria ser tratado na sua profundidade, mas… O que o levou a sentir a necessidade de mentir sobre esse assunto para ser ouvido? É uma questão para todos pensarem. Quais as doenças da nossa cultura são expostas pelo mal confessado. Vejamos o caso dos políticos e do povo brasileiro. Dizemos que os políticos são corruptos e nós o povo somos trabalhadores inocentes, vítimas impolutas. Mentira! Esse discurso só serve a própria corrupção. Nós somos um povo corrupto, pois se fosse diferente não admitiríamos o que se faz nos escritórios de Brasília mais um segundo sequer.

10. Colocar panos quentes. Deixa que o tempo arrume. O que arruma as coisas é o arrependimento e o quebrantamento diante dAquele que constantemente junta nossos pedaços e vê nossas misérias. Minha esposa comentava comigo que está na moda as pessoas dizerem: Eu não me arrependo de nada do que fiz. Quem não se arrepende de nada ou é perfeito ou é um perfeito asno espiritual. Arrependimento é metanóia, mudança de mente. E só mentes fechadas e corações arrogantes não se arrependem.

Com temor e tremor, e um coração carente de misericórdia, escrevo todas estas coisas para mim mesmo e para quem achar que precisa de discernimento em um momento de crise.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

(1)   I Coríntios 10:12

(2)   Levítico 18:5

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s