O que reaprendi com o Barcelona de Messi

Nunca na minha vida assistindo futebol (o que não é pouco se eu disser que são trinta anos de aficionado), vi um time jogar como esse Barcelona de Messi. Você também não? Se alguém me apresentasse um conceito de futebol do técnico Pepe Guardiola, eu diria que não era possível. Talvez ele seja e pense como aquele personagem do diálogo de Matrix:

– Não podemos fazer isso, ninguém jamais fez!

– É por isso mesmo que vai funcionar!

Encerrado o jogo eu me coloco a pensar do futebol para a vida, pois o futebol é fascinante justamente porque é um microcosmo da vida. Dez lições eu reaprendo quando vejo o Barcelona jogar:

Quando observo esse time jogando da mesma forma não importando o adversário, eu digo a mim e aos outros: seja fiel a você mesmo não importa quem esteja diante de você, grande ou pequeno.

Quando admiro o fato de eles passarem a bola de pé em pé sempre, eu penso comigo: sempre é possível encontrar ajuda quando a gente não olha para um lado só.

Quando percebo que eles jamais dão chutões para aliviar a pressão, recordo a verdade: reagir por instinto sempre traz os problemas de volta para nós rapidinho.

Quando observo surpreendido craques milionários marcando como se fossem volantes precários, sou confrontado com a realidade de que talento nunca é o suficiente para marcar história, é preciso sacrifício pessoal.

Quando contemplo um time que busca a vitória a todo momento do primeiro ao último minuto, lembro que apesar de todos os meus fracassos passados e lutas pessoais com o pecado, devo manter vivo meu espírito de luta.

Quando sou confrontado com o fato de que o Barcelona conquista suas vitórias sem ser desleal, sem bater nem tampouco agredir, recordo que não preciso intimidar ninguém para liderar ou fazer bem meu trabalho.

Quando observo que eles não dão espaço algum em nenhum lugar do campo, e que os adversários simplesmente perdem o tino, lembro que se eu não permitir, o mal jamais me dominará.

Quando vejo eles manterem uma posse de bola de 73% contra um time cheio de promessas como o Santos ou recheado de craques como o Real Madrid, lembro que se eu focar minha vida e minha ação naquilo que é mais importante as outras coisas vem com a naturalidade dos gols iminentes do Barça.

Quando leio e escuto todos os cronistas do mundo celebrando em uníssono esse time “de outro mundo” como fala o Maurício Noriega do Sportv, lembro que a excelência não carece de defesa ou explicações. Ela impõe-se por si só.

E finalmente então quando analiso o meu próprio deslumbramento ao escrever um post como esse, lembro da verdade irretorquível: todos caem! Mike Tyson, o Titanic, Muhammad Ali, a Alemanha de Hitler, a Assíria de Senaqueribe, a Babilônia de Nabucodonosor, o Império Romano, os EUA no Vietnã, o Brasil na copa de 50 e… ah claro, o Barcelona de Messi.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Um pensamento sobre “O que reaprendi com o Barcelona de Messi

  1. Se carregarmos o estilo Barça de jogar para o nosso Estilo de viver, poderemos até cair (apesar de estar demorando a acontecer) mas estaremos estruturados para nos reerguemos e seguirmos novamente no Foco! Parabéns Pastor pelo Post Show de bola! ;]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s