A Escada do Comprometimento

Com esse post começa uma seção nova aqui no blog: liderança. Ensino liderança e formo líderes há muitos anos. É um assunto que permeia tudo. Toda semana você lerá algo a respeito por aqui.

É minha convicção que os princípios de liderança de Jesus são transferíveis para qualquer instituição e realidade e que há muita coisa boa que podemos trazer de fora para o nosso contexto de fé. Vamos começar com o assunto comprometimento.
“Lembre-se: as pessoas jamais se comprometerão além daquilo que seu líder se comprometeu.”
John C. Maxwell
“No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem feita ou não faz.”
Ayrton Senna
“O amor à verdade ensinou-me a beleza do compromisso.”
Mahatma Gandhi
“A realidade se forma em volta do compromisso.”
Kobi Yamada
“De que adianta assumir um compromisso se queres todos ao mesmo tempo.”
Vinny Leal
Compromisso é a palavra equivalente a frase: “pode contar comigo de verdade”. O crescente individualismo da cultura dificulta a formação dessa competência especialmente nos jovens. Se você é ensinado que deve buscar sempre ser agradado em tudo, não é de se admirar que não se possa contar com você na hora em que a situação é monótona, difícil ou sem interesse imediato.
No entanto, ninguém realiza uma grande obra, sem comprometimento. E não qualquer tipo, pois existem vários níveis, comprometimento de alto nível.
Quero compartilhar com você como o comprometimento pode progredir a ponto de dominar nossas ações em direção a grandes realizações.
Sinais de comprometimento de alto nível.
1. Pontualidade. Você conhece como as pessoas estão envolvidas pelo horário em que chegam ao local de trabalho. Atrasos habituais demonstram que você não está nem aí para o futuro do empreendimento, não importa o quanto se desculpe e justifique. Nos trabalhos voluntários então isso fica muito claro. Ninguém é obrigado a nada, então você conhecerá as pessoas com maior potencial para fazer um grande trabalho. Se você vir uma pessoa que sem interesse monetário se envolve com uma causa e está presente nos horários, eis aí um grande trabalhado que daria certo em qualquer empresa.
2. Presença nas reuniões importantes. Existem reuniões chaves e estratégicas, se você não comparece a menos que seja constrangido, algo está podre. Aconselho quem recruta pessoas para novos postos de trabalho que não procure motivar quem não se motiva, mas procure quem está sempre presente nos principais encontros. Estes provavelmente darão mais resultado.
3.  Assumir publicamente seus propósitos. Quem quer fazer a diferença, não tem medo de dizer a que veio. Fala em alto e bom som o que vai fazer. Sabe que será cobrado pelo que disse, mas não tem medo.
4.  Preocupar-se com os resultados do que faz. Às vezes quem se preocupa pode ser tomado como pessimista, alarmista ou até confundido com um mala qualquer, mas prefira quem se preocupa do que quem se esquiva. Quem se preocupa com os resultados está envolvido e observante. Quem não precisa de gente assim? Em alguns momentos será preciso canalizar e modelar, mas mil vezes assim do que a indiferença.
5.    Sugestões para  melhoramentos. Ora quem ama o que faz, pensa no que pode melhorar e quando pensa não faz como quem quer acabar com tudo, mas como quem tem algo a sugerir.
6.    Sacrifício pessoal. Há um preço a ser pago para fazermos a diferença. Pode ser emocional, de tempo ou financeiro. Nosso grau de crescimento é diretamente proporcional à intensidade de desconforto que somos capazes de assumir para fazer nosso papel.
7.    Respeito à liderança. Isso não significa subserviência, puxa-saquismo. Quer dizer que respeito às hierarquias da organização. Que sei me disciplinar para executar ordens quando necessário. Quem não aprendeu a obedecer jamais estará apto para liderar outros.
8.    Reproduzir a visão. Devo ser a encarnação da visão que tanto aprecio. Essa atitude transcende horários de trabalho e se reflete em minhas decisões e cada passo que dou. Jamais deveríamos nos envolver em qualquer coisa que não representasse algo que está no nosso coração.
9.    Intensidade no trabalho. Aqui se refere ao quanto de nós colocamos no que estamos fazendo.
10.    Celebração das vitórias. Alegrar-se com as vitórias é a atitude definitiva de quem está comprometido. Desconfie de quem não celebra. Certamente essa pessoa será um fator corrosivo no futuro da organização.

Tenho algum interesse além dos meus próprios? Alguma causa conquistou meu coração?

Será que eu tenho o direito de esperar dos meus liderados um comprometimento de alto nível?

Onde chega o meu nível de comprometimento?

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s