Tira Gosto

Extrato do Livro: A Graça de Deus e o Homossexual que mora ao lado – Allan Chambers e a Equipe de Liderança do Ministério Exodus  International. Paginas 156 e 157.

“A princípio, deixe-me fazer uma pergunta: você ou sua igreja já pensaram na comunidade assumidamente gay como um grupo de pessoas não-alcançadas? Se sua denominação é como muitas, existe o Domingo de Missões em que diferentes missionários, que alcançam o mundo, visitam a congregação, falam na escola dominical e pregam. A meta, normalmente, é honrar o Senhor por sua obra, e informar a congregação sobre como os recursos estao sendo utilizados e arrecadar mais fundos para esses projetos. 

Certa missionária e o fulano, também missionário virão e falarão sobre o choque cultural que viveram e sobre como superaram por meio do aprendizado da humildade e do serviço. Eles explicarão que até a missionária tem um novo piercing no lóbulo da orelha pra indicar ao resto da tribo que é casada. 

No tocante a povos e culturas, compreendemos a necessidade de aprender a língua, os costumes, as normas sociais e as expectativas culturais. E, naquilo que não comprometer o evangelho, tentamos adaptar e honrar as tradições. 

Todavia, por que as igrejas raramente apoiam um missionário na cultura gay? Por que quase nunca existe um representante de ministério voltado aos homossexuais no domingo de missões? 

Por que tão poucas denominações estão fazendo algo pró-ativo para alcançá-los e apoiar aqueles que estão tentando causar algum impacto?

Suponho que seja porque não vejam a comunidade assumidamente gay como uma verdadeira subcultura – semelhante as que se fundamentam em raça, status econômico, localização, etnia ou religião.

Essa é uma noção que eu gostaria de ver transformada. Uma subcultura é definida como “um subgrupo cultural diferenciado por status, histórico étnico, residência, religião ou outros fatores que, de forma prática, unificam o grupo e influenciam coletivamente cada membro”. São os outros fatores que, de forma prática, unificam e caracterizam a comunidade gay como um grupo de pessoas não-alcançadas. “

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s