Instruções de sobrevivência para quem está no deserto

Existem momentos na vida que a gente tem a impressão que abriram as portas do inferno e todo o mundo parece despencar na nossa cabeça. Os crentes chamam esses momentos de deserto, outros chamam de “a noite escura da alma”, e outros de vale da sombra da morte. O fato é que todo o chão que nos mantém seguros parece se abrir embaixo de nossos pés ameaçando nos engolir. Algumas pessoas caem em profunda depressão, outros passam por períodos intensos de dúvidas e certas pessoas são até acometidas de enfermidades que parecem não ir embora. Parece que os inimigos se acumulam, os obstáculos se multiplicam e tudo é um parto para acontecer. O livro de Jó foi escrito para nos mostrar que a fé embora triunfante também vivencia seus momentos menos gloriosos neste lado do céu. Nestes períodos é que são arquitetados os alicerces de nosso futuro espiritual. É bom ficar ligado. Quero compartilhar dez instruções de sobrevivência que eu aprendi:

1. Não procure soluções mágicas. Nesses períodos sempre aparecem os bem e os mal intencionados querendo que você vá a algum lugar, faça algum tipo de oração, conheça uma pessoa incrível que vai abrir a chave da resposta fácil. Não se enrede com isso.

2. Ore do jeito que você consegue. Mesmo que seja só gemer na presença de Deus. Ele entende.

3. Desabafe com alguém experiente que não vai ficar dando sermão em você.

4. Não seja criança com aquele papo de “eu não aceito”, pois o que você precisa é aceitar e aguentar.

5. Não fique procurando alguém ou algo para colocar a culpa. Você pode magoar alguém muito importante nesse período e alguém bem próximo. Em geral o pastor, a igreja, e os pais são os favoritos para levarem a responsabilidade.

6. Continue a fazer o bem a quem precisa de você. Embora pareça que não dá, você pode fazer desse um sacrifício vivo ao Senhor.

7. Lembre que Deus não se explica, nem cabe nas lógicas humanas. Se coubesse não seria Deus. Parafraseando Elie Wiesel: Um crente pode ser contra Deus, a favor de Deus, mas jamais sem Deus.

8. Não tome decisões sob o frio da noite desértica. Em geral essas decisões tresloucadas trazem arrependimentos futuros.

9. Não se refugie nos antigos pecados de estimação para aliviar a dor. Isso é corcovear contra as esporas: só traz mais dor. Boa parte do nosso crescimento tem a ver com suportar a dor valentemente.

10. Abra a torneira das lágrimas e chore a vontade. Não tenha vergonha de dizer que está doendo. Não tenha medo de quem te deseja o mal. Tenha coragem de ser plenamente humano.

Depois disso você nunca mais será o mesmo. Sua palavra fará sentido a quem vive a dor como o arroz e feijão de cada dia e sua presença será mais presença do que nunca. Na esperança de que tenha lhe ajudado:

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Anúncios

Um pensamento sobre “Instruções de sobrevivência para quem está no deserto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s