A ambição que falta

Ser ambicioso não é pecado.  Dependendo do tipo de ambição. Nossas ambições revelam nosso coração. O membro comum da igreja brasileira que nessa hora está participando de algum culto, se aproxima das reuniões com os mais diversos desejos:

Um lugar para mostrar seus dons

Ser paparicado

Conseguir algum bem material

Exibir conhecimento

Dominar

Ter uma igreja para ir no domingo à noite

Quando me converti há uns 25 anos atrás, a igreja carecia de contextualização, música de qualidade, conhecimento e  espaços na mídia. Hoje tudo isso mudou. Já conquistamos esses avanços ou retrocessos. No entanto isso tudo se tornou periférico diante do fato que ninguém mais fala ou procura ser uma pessoa cheia do Espírito Santo.

Jesus disse que esse presente está disponível agora mesmo para todas as pessoas. Disponível, mas ninguém quer, se julgarmos pelas “campanhas” e orações públicas que ouvimos. Raramente ouvimos do púlpito que isso faz toda diferença na vida de quem quer seguir a Jesus.

Gosto da passagem que fala do profeta Eliseu, que não desgrudava de Elias. Ele era um jovem ambicioso na melhor acepção da palavra. Ele queria uma porção dobrada do Espírito que havia em Elias também sobre sua própria vida. Quis e recebeu porque Deus se deleita mais que a qualquer coisa, em doar-se a nós. (1)

Ah, se essa se tornasse a ambição predominante em nossas comunidades, nossa vida seria certamente mais aventureira, pujante e relevante.

Por que deveríamos ter essa ambição?

1. Porque uma pessoa cheia do Espírito Santo, vê além dos fatos. Uma pessoa que vê fatos é apenas um jornalista genérico, mas uma pessoa que enxerga o significado dos fatos é um místico no melhor sentido da palavra. Paulo nos diz que pelo Espírito temos acesso e discernimento do por que as coisas estão acontecendo. Discernimos o propósito de Deus e as artimanhas malignas. Certamente seremos mal interpretados, mas em Deus sabemos. Enquanto os romanos viam o cristianismo apenas como uma religião perturbadora do império,  Paulo via uma batalha se desenrolando nas regiões celestiais. E nós no nosso tempo cada dia mais comemos na mão da imprensa e não buscamos em oração o entendimento do tempo que vivemos.

2. Uma pessoa cheia do Espírito Santo é sensível. Estamos em tempos de endurecimento e indiferença. A convivência e a exposição à perplexidade tem nos deixado calosos. Nossa urbanidade roubou nossa compaixão. Só no trono de Deus recuperaremos nosso coração.

3. Uma pessoa cheia do Espírito Santo realiza coisas que estão além de sua capacidade. Claro que é possível ver resultados sem Deus. É possível abrir uma igreja baseada em princípios de marketing. Como disseram alguns: “deus é uma marca poderosa”. Só que tem um detalhe, os resultados são marcados pela contenda, pela divisão, pela vaidade institucional, pela separação entre as pessoas e pela flagrante falta de amor. Semente ruim produz fruto ruim. Mas quem é cheio do Espírito produz fruto para Deus e com qualidade. D. L. Moody foi um evangelista surpreendente. Sapateiro e de origem humilde, entrou em ambientes universitários e empresariais com a mensagem do evangelho com desenvoltura incomum. Um dia um homem de origem nobre quis conhecer-lhe em razão da grande obra que liderava. Ao encontrá-lo e ouvi-lo falar com evidente limitação de vocabulário e expressão comentou: – Não consigo enxergar qualquer coerência entre a obra e o líder da obra. Ao que Moody respondeu: – Se o senhor visse alguma coerência entre mim e a obra que faço, ela seria apenas obra de homens! Mas como não vê, o senhor pode ter mais uma evidência de que essa é uma obra de Deus.

4. Uma pessoa cheia do Espírito vence suas tentações pessoais. Todos têm uma sombra que espreita suas ações. Pecados que insistem em perturbar de tempos em tempos. Não podemos ser definidos por eles. Nem achar que é normal uma vida persistente na derrota. A graça hoje é definida apenas como perdão, e neste caso como álibi para uma vida sem compromisso com Deus. Só que a Palavra me diz que a graça também é capacitação. Se Pedro continuasse negando a Jesus, nada de sobrenatural teria acontecido a ele e se Paulo continuasse a fazer a obra de Deus baseado na violência, tudo não passaria de uma ilusão. Uma vida cheia do Espírito apresentará vitória significativa sobre o pecado. Os padrões são altos, mas a graça também é abundante!

5. Uma pessoa cheia do Espírito não tem medo de cara feia nem dos homens, nem do diabo. O médico que testemunhou o martírio de Dietrich Bonhoeffer escreveu: “Nos quase cinquenta anos que trabalhei como médico, raramente vi um homem morrer tão inteiramente submisso à vontade de Deus.” Ninguém que tenha sido impressionado pela presença de Deus pode ceder ao deslumbramento ou a intimidação daqueles que usados pelas trevas tentam fazer-nos retroceder ou com seus elogios nos seduzirem.

6. Uma pessoa cheia do Espírito experimenta uma alegria que não pode ser entendida humanamente. Verdade seja dita. Se você for a um culto cristão não verá ali, na maioria das vezes qualquer coisa que possa impressionar humanamente falando. As pessoas não são brilhantes, a música não é melhor que a maioria das bandas que tocam em shows, e as dependências deixam muito a desejar por mais que haja esforço. Então a pergunta é: porque vemos pessoas que derramam suas lágrimas quebrantadas diante de uma canção simples, que servem a Deus com sacrifício de horas de conforto? Elas conhecem algo escondido por detrás da realidade visível. Elas conhecem o Espírito que dá vida a tudo. Se sua vida espiritual não tem isso, não é culpa das paredes ,nem da música ou do português ruim do pregador, é da falta de ambição espiritual.

7. Uma pessoa cheia do Espírito não é subjugada por problemas de auto-imagem. Há muito mimimi nas igrejas por causa de fofoca, oposição e crítica. Se você nunca viveu algo assim, um dia vai viver. As pessoas são abaladas por essas situações porque sua auto-imagem está baseada em fatores exteriores. Jesus antes de ser tentado foi cheio do Espírito. O diabo tentou questionar sua identidade, mas não conseguiu. Ele não precisava provar que era o Filho de Deus. Ele sabia. Nós também podemos saber, se fizermos da busca pelo Espírito nosso desejo ardente. William Booth, fundador do Exército da Salvação, pela graça de Deus começou uma revolução na Inglaterra com ações destinadas aos pobres e miseráveis esquecidos pela sociedade elitista. Ele teve que ler nos jornais muitas vezes  acusações ao trabalho que fazia como: “fanático”, “idealista infantil”, “socialista”, “destruidor da sociedade”, “enganador religioso”, “sonhador”, “canalha hipercrítico” entre tantas. Seus companheiros queriam que ele desse uma resposta. Ao que ele respondeu: “… daqui a cinquenta anos, pouco vai importar a maneira com a qual essas pessoas nos trataram. O que vai importar é o modo como nós lidamos com a obra de Deus”.

8. Uma pessoa cheia do Espírito é uma fonte de vigor espiritual para outros. Aqueles que entram em contato com alguém assim recebem um ânimo novo para sua caminhada espiritual. Certamente que não estou defendendo uma superespiritualidade que não vive seus momentos difíceis e tristes. Mas a mensagem geral de uma vida cheia do Espírito, é uma mensagem contagiante de força espiritual. Será que não é isso que sugere a promessa de Jesus quando diz: “aquele que vir a mim, do seu interior fluirão rio de água viva”?

9. Uma pessoa cheia do Espírito dá todo o crédito a Deus. Às vezes eu  fico perplexo pela falta de discernimento espiritual das pessoas que vão até a igreja dia após dia. Outro dia mesmo o senhor Valdemiro Santiago, líder de uma “igreja”  egressa da IURD fazia a defesa das acusações de uma reportagem encomendada pela Record que se sente ameaçada pela figura pitoresca que  está lhe roubando os fiéis. Ele tem todo o direito de se defender. O que me “revira as tripas”, é o narcisismo descarado com o qual ele faz sua defesa, falando do Ibope que sua aparição provoca. Só alguém cego espiritualmente não enxerga o que está absolutamente claro. Se fosse ele uma pessoa cheia do Espírito, apelaria a verdade e não a grandeza do seu ego. Porque uma pessoa cheia do Espírito tem zelo pela glória de Deus.

O que você tem de Deus (falo espiritualmente) é o que você tem buscado. Nada mais nada menos. Que tal você ser muito mais ambicioso?

Um abraço quebra costelas

O discípulo gaudério.

(1) II Reis 2

Um pensamento sobre “A ambição que falta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s