Procura-se um pai

pai

Procura-se um pai…

Aquelas três adolescentes na praça Coronel Pedro Osório, disputando um cigarro de maconha em plena luz do dia como quem divide um chocolate.

O super realizador, que não se satisfaz com resultados extraordinários nem com a admiração dos seus pares e os puxa-sacos de plantão.

O menino brigão, que não tolera a mínima frustração e que mantém a ditadura do medo sobre todos ao seu redor.

O bêbado que olha para o próximo martelo de cachaça como quem busca na multidão um rosto conhecido.

A criança livre no meio da rua, que conversa com cada caminhante como se fosse um velho conhecido.

A mulher que estudou os homens para devorá-los,  que pesa cada palavra, calcula cada detalhe do visual em busca de um certo olhar que faltou.

O artista extraordinário, que no fim da apresentação olha a platéia irrompendo em aplauso efusivo sem se contentar, pois procura no rosto de todos o olhar de um só.

A guria da balada que rodopia a noite inteira a beber vida dos beijos de tantos homens diferentes sem nunca se saciar.

O funcionário que chora desesperadamente a orfandade da demissão impiedosa.

O menino vassalo das ordens do dono da boca de fumo que imagina ser o súdito orgulhoso do rei.

Procura-se um pai para que a vida tenha sentido, raiz, e ponto final.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s