Não, não é tudo igual!

“Como todos os sonhadores, confundi o desencanto com a verdade.”

Sartre

Minha filha e um amigo voltaram do cinema e entraram em casa agitados. Ele voltou desgostoso com o filme que acabara de ver.

– Que sem graça. O herói morre no meio do filme.

Minha filha respondeu:

– Cara, o filme não era conto de fadas.

Até certo ponto de nossa vida, embora não de forma conceitual, mas afetiva, acreditamos que a vida é um conto de fadas! Cremos que todos os camaradas são amigos e que todos que nos sorriem desejam realmente o nosso bem.

Só que à medida que as experiências negativas com a vida e humanidade se acumulam corremos um risco terrível: bebermos do veneno invisível do ceticismo. Se antes acreditávamos em tudo, agora nos vingamos da vida ingrata e não acreditamos em nada.

O ceticismo pode tomar conta da nossa vida quando a gente descobre que o herói pode morrer no final! Ou talvez de que o herói é vilão.

O ceticismo é o estabelecimento da lei de Murphy como meu guia de vida: se alguma coisa deu certo é porque algo deu errado! É a generalização da maldade. É uma leitura parcial da realidade.

É fácil detectar o ceticismo:

A versão religiosa: “Todas as igrejas são iguais e todo pastor é vigarista”

A versão feminista: “Todos os homens são igualmente opressores.”

A versão petista decepcionado: “Todo o político é sem vergonha.”

A versão existencial: “Por mais que se faça, nada vai adiantar.”

Cazuza conseguiu descrever com muito talento essa armadilha na música Ideologia:

“E aquele garoto queria mudar o mundo, mudar o mundo

Hoje assiste a tudo, em cima do muro, em cima do muro.”

Mas é preciso fazer uma declaração em alto e bom som: não, não é tudo igual!

Cair nesta arapuca sutil pode ser fatal para nós.

Por quê?

O ceticismo desanima o homem de boa fé. A generalização faz mal porque só atinge quem não se enquadra nela: o honesto. Porque o safado tem cara de pau. Quantas vezes tive que enfrentar a cara de suspeita quando revelava que era pastor. Era como se estivesse escrito “vigarista” na minha testa! Estava pagando a conta alheia.

O ceticismo esconde o patife declarando a todos patifes. A quem interessa que as manifestações nas ruas em favor de mudanças no Brasil sejam vistas como puro vandalismo?

O ceticismo faz com que eu deixe de me cobrar e cobrar os outros. Se eu não creio na mudança vou aceitando cada vez mais aquilo contra o qual deveria morrer lutando.

O ceticismo paralisa minhas ações. Foi o ativista Martin Luther King que disse: tudo que é feito nesse mundo, é feito pela esperança.

O ceticismo me afoga em um mar de superficialidade. Um dia acreditei que todas as pessoas miseráveis eram simplesmente pobres vítimas de um sistema perverso. Era uma leitura superficial, uma leitura romântica. Depois de trabalhar um pouco com pessoas em condição de pobreza descobri que muita gente escolhe a miséria. A tentação foi espalhar essa constatação para todas as outras pessoas. Seria uma boa desculpa, embasada na experiência. Só que tão superficial quanto meu romantismo inicial seria esta conclusão. O que se requer de nós como discípulos é o exercício constante do discernimento.

Talvez você não possa mudar o mundo como um dia pensou, mas pode mudar muito mais coisas do querem tentar fazer você pensar.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Das limitações do conhecimento

“A sabedoria está gritando, o discernimento levanta a sua voz, nos gabinetes dos líderes mundiais, na escola pede atenção, ela se coloca no comando das empresas, e no dia a dia das pessoas pede atenção. Ela está quase sem voz…”

Paráfrase pessoal de Provérbios 8:1-3

Sobreviver espiritualmente nesse século XXI depende da nossa capacidade de discernir a diferença entre conhecimento e sabedoria, e seguir a sabedoria.

Conhecimento é saber como a realidade é e funciona, sabedoria é a capacidade de transformar tudo isso em bem para o homem. É fácil perceber qual tem sido a escolha perversa da humanidade.

Os homens descobriram mistérios do inconsciente e em lugar de mais médicos da alma temos mais vendedores manipuladores.

Os homens aprenderam a duras penas depois do Iluminismo e da fracassada educação ateísta soviética que o anseio por Deus é algo inerente ao ser humano, e em lugar de responderem ao sagrado, elevaram a nona potência sua capacidade de explorar a fé alheia.

Os homens conseguiram enviar satélites para a órbita terrestre, cavaram a terra e nela colocaram cabos de transmissão, inventaram a internet e em lugar de uma irmandade universal criamos uma exploração abissal.

Inventamos as sementes a prova de pragas, conseguimos produzir mais alimentos por metro quadrado e estocar a salvo de qualquer ameaça, mas em lugar de resolvermos o problema da fome, temos mais desperdício do que nunca.

Descobrimos os planetas, novas galáxias, nos embrenhamos no cosmos, mas desconhecemos aqueles que moram dentro de nossa casa e que chamamos de família.

Governos sempre sabem como achar verba para subsidiar construções faraônicas como estádios de futebol, mas a educação e a saúde das pessoas morrem a míngua.

Desenvolvemos estradas para garantir a segurança dos homens, mas elas foram transformadas em uma passarela do ódio e do desrespeito.

Construímos  catedrais arquitetonicamente perfeitas com a justificativa de Deus, mas tudo que elas servem é para ser vitrine de homens sedentos pela glória que só pertence ao Altíssimo.

Criamos postos de trabalho, novas profissões para construirmos um mundo novo para aqueles que amamos, mas o preço que precisamos pagar é jamais podermos desfrutar da companhia de nossa família.

Produzimos bens dos mais diferentes tipos para ajudar o homem, mas para isso utilizamos o trabalho escravo desses mesmos homens.

Dizemos constante em alto e bom som que a felicidade é o propósito do homem, mas vivemos ensinando a nossos filhos desde pequenos a não se contentarem com nada.

Estudamos anos a fio em seminário o grego e o hebraico, e  a mais sadia teologia, mas em lugar das pessoas conhecerem a Jesus tudo que fazemos em nossas igrejas é deixar nas pessoas a sensação de quão inteligentes somos.

Onde está a sabedoria em todo esse conhecimento?

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Provérbios para discernir as pessoas

“Mas Jesus não se confiava a eles, pois conhecia a todos. Não precisava que ninguém lhe desse testemunho a respeito do homem, pois ele bem sabia o que havia no homem.”

João 2:24,25

Não pense que quem trai para ficar com você, vai ser fiel para sempre. Será fiel ao seu caráter desleal.

Cuidado com os murmuradores que reclamam nas costas dos amigos, dos parentes e de tudo que é passado em suas vidas. Que deixam portas fechadas em todos os lugares aonde vão. Eles certamente são pessoas desleais, e quando não precisarem mais de você esquecerão toda a sua história.

Preste atenção em quem sempre critica o sucesso dos outros, eles não suportarão o seu sucesso também.

Observe quem tem a língua solta, e não fale nada de muito importante a ela, pois logo ali adiante ela entregará o segredo, pois mesmo que tenha boa intenção, não é senhora da própria língua.

Cuidado com quem se diz vítima de todo mundo em todo lugar, provavelmente é um vilão dos mais sutis que você encontrou.

Preocupe-se se todo mundo que está a sua volta só elogia e lhe cobre de louvores. É certo que você não vive em um ambiente de transparência.

Não pense que todo mundo lhe amará pelo bem que você faz, alguns justamente pelo bem que você faz lhe odiarão.

Mulher, o homem que não ama a própria mãe jamais lhe amará, homem, a mulher que não acertou as contas com seu pai, jamais poderá confiar em você.

Se você estiver procurando alguém para trabalhar bem e duro, procure quem está ocupado, pois os preguiçosos sempre encontram um motivo para estarem parados e quem quiser sempre terá o que fazer.

Não se baseie no discurso brilhante dos falastrões, os maiores executivos que conheço, fazem e depois falam.

Acautele-se daqueles que fazem um cavalo de batalha de um só pecado, quase sempre você descobrirá que eles possuíam uma afinidade que desejavam dissimular.

Mas apesar de tudo a Escritura nos ensina:

“Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de Deus.” (1)

E também diz:

“Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” (2)

E convém não esquecer:

“E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos.” (3)

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

(1)    I Coríntios 6:11

(2)    II Coríntios 5:17

(3)    Gálatas 6:9