O Vírus da Gentileza

Que os filhos da luz tomem parte na doce revolução do Reino de Deus!

Para abrir as portas do inferno onde você quiser.

“Também qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá’, será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco!’, corre o risco de ir para o fogo do inferno.”

Mateus 5:22

“Não bombardeiem de críticas as pessoas quando elas cometem um erro, a menos que queiram receber o mesmo tratamento. O espírito crítico é como um bumerangue.”

Mateus 7:1

“A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira.”

Provérbios 15:1

“Façam tudo sem queixas…”

Filipenses 2:14

1. Uma Palavra Bruta.

Quando eu era guri lá em Bagé, eu aprendi essa lição em dois episódios distintos. Eis o primeiro. Como toda turma de antigamente, tínhamos como nosso ponto de encontro um grande cinamomo que ficava em frente a casa de um vizinho que, ora vejam a coincidência era pastor e também funcionário de uma grande estatal. Ele trabalhava a noite, e descansava durante o dia. O quarto dele ficava bem na frente da casa e quando ele queria dormir, nós fazíamos bagunça ao redor da árvore. Um dia depois de tentar dormir com aquele barulho sem sucesso, ele me chamou e disse assim: Fabiano, sei que tu és o chefe da galera, será que tu poderias me fazer um favor? Claro, eu respondi. Poderias pedir para o pessoal não fazer farra durante a manhã, pois eu preciso dormir e não consigo, com o barulho. Prontamente falei com o pessoal, e tudo foi resolvido. Na mesma época,  outro vizinho incomodou-se com nossa presença ruidosa. Só que foi por um caminho diferente. Recordo que era um estudante de veterinária com um filho pequeno. Ele saiu de casa gritando com Deus e todo mundo: Vocês não têm mais nada para fazer? Não sabem que estão acordando meu piá? Saiam já daqui! Ordenou ele em tom destemperado. Saímos todos silenciosamente, sem dizer uma palavra. Parecia tudo resolvido para ele. Parecia.  No dia seguinte, ainda mastigando sem engolir a grosseria, compramos rojões, que se vendiam em qualquer armazém de esquina e na calada da noite atiramos embaixo da janela onde ele dormia com o filho, para depois nos deleitarmos observando   ele enlouquecer de raiva na frente da casa sem avistar ninguém. Essas duas passagens ilustram bem como a palavra  grosseira, rude pode trazer o inferno a tona onde quer que você esteja: igreja, empresa, família e trânsito. Pode demorar, mas volta.

2. Uma Palavra Precipitada.

Quando a Bíblia condena o “julgar” ela não está se referindo a abrirmos mão do senso crítico. O discernimento é um imperativo para o discípulo de Jesus. O que Jesus condena é emitir juízos importantes sobre um assunto ou sobre uma pessoa sem ter conhecimento dos fatos. Estamos viciados em procurar informações na mídia sobre assuntos importantes e ás vezes o pior lugar para obter informação é a mídia. Quando possível, ligue, converse, informe-se. É demorado, mais difícil, mas quem disse que a porta do discipulado é ampla? Paulo Antônio da Silva, um homem humilde de Belo Horizonte viveu os últimos 15 anos de sua vida (cinco deles preso) sob o peso da acusação de estupro. Perdeu a liberdade, o emprego, a saúde e o contato com as filhas e a mulher. A semelhança com o verdadeiro criminoso o colocou no foco das acusações. Este ano depois do verdadeiro estuprador haver sido descoberto, ele respirou aliviado. O fato mostra como nossas certezas podem ser frágeis.

3. Uma Palavra de Murmuração.

A murmuração é dar razão ao ego quando nossa vontade não é feita. Todos têm expectativas em relação ao que a vida vai  oferecer, a todo momento em todo lugar. Quando essas expectativas não são contempladas, nos frustramos, e damos razão a essa frustração e como uma prima dona que não foi atendida em suas exigências de camarim, entramos em um estado de descontentamento crônico. Pense que você está chegando para uma festa. Você foi preparado para sentar em uma mesa em certa parte do salão. Chegando lá, bem vestido, em espírito alegre, você percebe que sua mesa foi ocupada por outra pessoa, e acaba precisando sentar em outro lugar longe de seus amigos. O ego descontente diz a si mesmo: acabou minha festa! E acaba mesmo. O restante daquele momento alegre acaba se tornando um peso para quem está a sua volta e para você mesmo. O problema com a murmuração é que um descontentamento ocasional acaba se tornando em um estilo de vida. O segundo problema é de natureza comunitária. As pessoas que estão ao seu redor tomam sua bandeira e tornam-se queixosos. E o terceiro decorrente deste último, é que os problemas são veiculados, mas nunca resolvidos porque o murmurador profissional acaba fugindo do confronto pessoal com quem resolveria ou poderia resolver o problema. E o pior de tudo, é que viciamos na murmuração a ponto de andarmos como um animal ferido gemendo feridas que não existem apestando os lugares onde pisamos com um estado de ânimo desalentador e desagregador. Se você tem alguma reclamação, não seja covarde, vá ao responsável falar. Já falou? Fale novamente. Mas não fique em um estado de inércia reclamatória. Vejo isso todos os dias no povo brasileiro. Reclamam dos políticos, mas não exercem nenhum tipo de ação de fiscalização ou propõe soluções para solucionar problemas.

4. Uma Palavra de Desprezo.

Nas versões antigas da Bíblia, o texto de Mateus era traduzido com uma expressão gutural do hebraico: Racá, que busca imitar (desculpem os mais sensíveis) o som de quem tira o escarro da garganta. Era uma palavra que expressava desprezo. É muito difícil, fugir do desprezo, mas é bom tentar. O desprezo é o motivo das guerras culturais de toda ordem dentro da sociedade. E parece que todos nós sentimos necessidade de odiarmos alguém. Tenho impressão que é uma maneira de nos sentirmos superiores. O velho e mau orgulho. Desprezamos pagodeiros, sertanejos, pobres, ricos, pentecostais, católicos ou que você quiser, sempre de um ponto de vista que possa nos fazer sentir melhores. Uma compensação para a nossa sempre empobrecida autoimagem. Mas quem é ferido de desprezo, raramente esquece. A música de uma artista que minha filha curte, diz: Quem está rindo agora? A jovem recorda o tempo em que os colegas a desprezavam por ser diferente e agora com o sucesso ela escreve para se vingar. Quem dera as únicas vinganças humanas fosse uma música ressentida. Mas não. O que nós vemos são guerras sanguinárias como as de Ruanda, que pelo desprezo dos belgas por uma etnia que compunha a nação causou um descontentamento que resultou em lutas sangrentas. O inferno aberto.

Se eu fosse você, cuidaria  para não abrir portas para o inferno na sua vida, pois uma vez abertas, são difíceis de fechar.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

Acertando as contas com papai!

“Ele fará com que os corações dos pais se voltem para seus filhos, e os corações dos filhos para seus pais; do contrário, eu virei e castigarei a terra com maldição.”

Malaquias 4:6

Um amigo meu cujo pai era músico de primeira, às vezes encontrava seu pai chorando enquanto tocava o violão. Intrigado ele perguntava o que estava acontecendo. O pai respondia: Filho, apesar dos muitos anos ainda sinto saudades do meu pai. Quando toco lembro-me dele.

Perdi meu pai no dia 23 de julho, não faz um mês. E esse é o primeiro ano que não tive ninguém para ligar e cumprimentar no dia dos pais. Quando era criança eu ansiava tanto por ele, que sua ausência provocava um caos no meu relacionamento com os outros. Foi Cristo quem pacificou meu coração. Aprendi a memória seletiva. Fiquei apenas com as boas lembranças sem repisar o que passou. Agradeço a Deus pelo que foi, e celebro o que virá.

Digo estas coisas para reforçar uma verdade, que Freud evidenciou, mas que qualquer observador atento poderá concluir: o pai é a coluna afetiva na alma da gente. Ansiamos por paternidade. Nosso relacionamento com ele afeta nossa teologia, nossa capacidade de liderança, nosso trabalho e nossa paz. Por mais injusto que isso possa parecer, o pai afeta a alma do filho mais do que a própria mãe. Lutamos por sua aprovação, brigamos com sua condenação, procuramos por ele em tudo que fazemos.

O GNT, canal por assinatura produz um daqueles raros bons programas da TV, chamado “Em Busca do Pai”. Ali são tomados depoimentos de várias pessoas que demonstram de forma comovente como o pai é central na nossa formação humana. Milton Gonçalves conta como seu reencontro com seu pai foi decepcionante após um abandono aos seis anos de idade. Ele declara: “Um pai não tem o direito de abandonar seu filho.” Logo em seguida o programa mostra a vida de um historiador que desconhece seu pai. A angústia de não saber nem ter ideia de quem é seu pai é evidenciada no lamento que ele faz: “Mesmo sendo pai, ainda hoje o dia dos pais é um dia difícil.”

Por força dessa experiência tão comum em uma sociedade em que as mães dão de 10 a zero nos pais, que os filhos ficam tão vulneráveis a outros pais perigosos:

Namorados canalhas

Traficantes.

Líderes abusivos.

Filosofias ateístas.

Como você se sente em relação ao seu pai? O que você sente vai liberar um destino para sua jornada. Antes de dar continuidade na sua vida, você precisa resolver essa questão central.

Alguns sentem ódio. Existem pais que palmilharam o caminho do inferno em suas vidas e foram especialistas em impingirem sua maldade sobre seus filhos. As marcas de sua perversidade é um peso para você. Mesmo assim para o bem de sua alma o único caminho de saída para o ciclo do ódio é a porta do perdão. Saia por ela. É uma decisão que Deus vai lhe ajudar a fazer.

Outros sentem idolatria. Às vezes a sombra de um pai altamente competente nos paralisa e assombra de tal forma que preferimos fugir de uma vocação, ou de tentar ser bem sucedido escondendo nosso medo por detrás de um comportamento transgressor.Pense nisso e liberte-se dessa imagem opressora para poder ser quem você é, pela graça de Deus.

Alguns sentem profunda decepção. A quem vive isso quero lhe dizer: lembre-se que seus pais herdaram também a limitação dos próprios pais. Lembre-se que você vai falhar também. Lembre-se que os pais que parecem ser perfeitos com os quais você compara seu próprio pai, na intimidade também revelam suas maldades.

Alguns sentem distância. Se você não consegue proximidade com seu pai, tenha cuidado para que você não transfira para todas as figuras de autoridade essa mesma distância. Abra seu coração para que alguém abençoado possa ser um pai substituto, um pai espiritual.

Alguns sentem saudades.  Fique em paz com suas saudades. Nem tente apagar isso do seu coração.  Simplesmente dê graças a Deus porque a saudade é o cheiro de vivências boas que nossa alma guardou dentro de si.

Alguns sentem culpa. Pelo que disseram ou  pelo que não fizeram ao pai que já não está mais aqui. Ora, na cabeça de quem fica parece que faltou mais um abraço, mais um beijo. Perdoe-se, pois Deus perdoa. Olhe para Jesus, pois Ele não vai te acusar.

Que o Senhor nos dê graça.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.

 

Jogos perversos em nome do amor

 Não existe palavra mais surrada nesse mundo do que o amor. Quando alguém fala sobre amor nestes tempos quase sempre está se referindo a desejo sexual.  Desse ponto de vista parece atrativo para as pessoas o caminho do amor, visto que o desejo não demanda nada mais do que se deixar levar pelo instinto. Só que a vida pelo instinto vai levando a alma para o abismo. Primeiro porque se relaciona com o outro como se fosse apenas carne, quando ele existe muito além do corpo, segundo porque instala no ser interior um processo de insensibilização cujo resultado é mais sexo e menos prazer.

Em razão desse falso amor essa geração adoecida e carente estabelece dinâmicas de relacionamentos destinadas ao fracasso. Gente órfã, tola e desavisada entra em jogos de infligir dor desnecessária no outro como padrão relacional. É uma troca de torturas que acabam viciando as pessoas que pensam que é assim que tem que ser. Alguns são capazes de arrastar relacionamentos perversos por toda uma vida, vivendo um inferno existencial indescritível.

Eis alguns jogos que você faria bem em fugir:

Se você me ama, aceitará as minhas grosserias.

Sustentando  que amor é um salvo conduto para externarem  todas as suas hostilidades interiores, estas pessoas manejam pessoas de bem a sua volta para suportarem todas as suas loucuras dizendo: se vocês me amam vão me aceitar como sou! Em certo momento de um estudo bíblico um jovem me perguntou: Pastor, nós não somos chamados a amar sem esperar retorno? Verdade, mas também é verdade que Jesus nos ensinou a importância da reciprocidade quando disse “Amem-se uns aos outros”. Nenhum ser humano suportará amar todo tempo sem algum tipo de sintonia. Além disso, o amor não suporta a miséria do ser amado. Quando Deus veio ao mundo através de Cristo, não somente declarou seu amor, mas convocou aos seres humanos a uma mudança a partir desse amor. Amor não é o caminho mais fácil, é o melhor caminho.

Se você me ama, permitirá que eu tenha acesso a todos os detalhes de sua vida.

Ora se Deus nos fez de tal forma que o acesso a nossa vida fosse algo que só nos podemos dar, é porque existem coisas que podemos escolher manter em segredo entre nós e Deus. Amores possessivos procuram devassar a vida alheia para satisfação egoísta e em alguns casos masoquista. Não devemos nos deixar levar por essa distorção, nem permitir que façam isso conosco.

Se você me ama, entenderá que minhas traições são uma necessidade não uma escolha.

Homens em geral, apoiados pela cultura confundem tendência para muitos parceiros sexuais com necessidade de muitos parceiros sexuais. Algumas mulheres compram essa mentira que acaba colando no imaginário feminino e acabam até se apaixonando por homens com um histórico de traições. Acreditam que o fato de haver muitas mulheres disputando aquele homem significa que ele é um artigo de alto valor. Atitudes como essas enfraquecem a fibra moral do homem e aprofundam as decepções na vida. Lembro  uma frase que meu professor de aconselhamento repetia: “não faça do seu casamento um hospital e de sua esposa uma enfermeira”.

Se você me ama, vai sempre concordar comigo.

A intolerância aos diferentes pertence ao bicho homem. O ódio a quem não é igual está aqui desde o começo e não acredito que será removido. O discípulo de Jesus não crê assim. O discípulo não negocia o evangelho, mas não entende que deve destruir quem é diferente. É tolice fazer-se inimigo por posições religiosas, políticas e clubistas. Será que não conseguimos demonstrar amizade permanente por quem não sustenta nossas opiniões?

Se você me ama, será inimigo dos meus inimigos.

Quem segue o evangelho, segue sempre em primeiro lugar a Jesus, depois a sua consciência. Mas alguns amigos creem porque compartilhamos afeto com elas que devemos incluir nesse  pacote  todas as suas antipatias. Ora, quando olhamos para Jesus, vemos que seu amor cruzava fronteiras estabelecidas pelas ideologias, interesses econômicos e preconceitos milenares. Os que o seguiam se surpreendiam e ficava atônitos mas é assim que tem que ser.

Se você me ama, vai sempre correr atrás de mim.

Existe um tipo de pessoa  que se faz de vítima e quer atenção total. Geralmente são pessoas extremamente mimadas e que se habituaram a ser o centro das atenções, então quando chegam a um lugar não admitem que alguém além delas tenha atenção. Essas pessoas falam que estão doentes quando não estão, estão sempre ligando, se fazem de endemoninhadas, e quando a pessoa que elas estão sugando, não lhes dá atenção elas se afastam cheias de ressentimento e amargura repetindo o bordão: Ninguém me ama, ninguém me quer.

Essas pessoas se não são detectadas e confrontadas podem adoecer toda uma comunidade que se esgota na tentativa de agradar o adulto não crescido. Sempre descontente carente e pedindo amor. O perigo é de que muitos sejam negligenciados e o grupo caia refém da mesma amargura de coração da pessoa. Precisamos dizer a estes que a fonte do amor está fluindo para alma eternamente carente, e ela está no Calvário.

Se você me ama, vai fazer tudo que eu quiser.

“Agradadores” cuidado! Amar significa também dizer não. Estabelecer limites. Os caçulas manhosos da vida chegam com aquele carinho manipulador e contrapõem o carinho ao ódio quando não veem atendidas suas demandas e exigências. Pais precisam dizer não, maridos precisam dizer não, namorados precisam dizer não, pastores precisam dizer não. Quando Herodes manda que Jesus se retire da Judéia, Ele manda um recado: Vão e digam para aquela raposa que eu mandei dizer o seguinte: “Hoje e amanhã eu estou expulsando demônios e curando pessoas e no terceiro dia terminarei o meu trabalho.”

Se você está sofrendo além do normal nos seus relacionamentos, talvez esteja na hora de você rever seus conceitos sobre o amor e abandonar esse barco doente. Pois Jesus foi o Mestre do amor, mas jamais se deixou levar pelas manipulações humanas.

Um abraço quebra costelas.

O discípulo gaudério.